Como é feito o Cadastro Bolsa Família

Hoje vamos explicar como é feito o cadastro Bolsa Família. Saiba quais são os documentos necessários, requisitos e regras usadas na inscrição do programa e valor do benefício. Preparado??

bolsa familia consulta

Muitas famílias brasileiras estão querendo fazer o cadastro Bolsa Família, mas não sabem por onde fazer, ou sequer se tem direito, porém não existe um cadastro específico e somente para o Bolsa Família. Quando alguém fala que se inscreveu no Bolsa Família, o que ela fez, foi o Cadastro Único. Um cadastro que serve para todos os Programas Sociais do Governo Federal.

Famílias que fazem parte do programa podem receber suplementação de até R$ 372,00 mensais, desde que atendam aos requisitos exigidos pelo Programa, sendo incluídas no Cadastro Único e mantendo seus dados cadastrais atualizados, lembrando que todas as informações são confirmadas pelos responsáveis em cada município. Mas fique tranquilo, de tudo isto iremos falando ao longo do artigo.

Programa social de complemento de renda

Para que serve o programa bolsa familiaO Programa Bolsa Família foi criado no Brasil pelo Governo Federal fazendo a união de diversos programas criados anteriormente para atender às necessidades das milhões de famílias brasileiras em situação de pobreza ou de pobreza extrema.

O programa social é uma forma de atender às pessoas que não possuem condições financeiras, oferecendo, além de uma remuneração mínima digna, também o acesso aos serviços básicos de educação e de saúde, buscando combater um dos grandes problemas que atingem as famílias brasileiras em todo o território nacional.

Cada município é responsável pelo cadastramento de seus habitantes. As famílias que tem interesse em se inscrever e saber se possuem direito ou não de participar do Bolsa Família, devem procurar o CRAS mais próximo de sua residência.

Requisitos para participar do Bolsa Família

Para fazer parte é necessário que a família interessada não tenha uma renda ou tenha uma renda mensal mínima de até R$ 178,00 por cada integrante. Quando a família possui renda mínima de até R$ 89,00 por pessoa, é considerada como em situação de extrema pobreza, podendo ter todos os benefícios para atingir esse mínimo.

Os principais requisitos estabelecidos pelo programa são os seguintes:

  • Famílias que tenham renda por mês de até R$ 89,00 por pessoa, consideradas como em situação de extrema pobreza;
  • Famílias que tenham renda por mês entre R$ 89,01 e R$ 178,00 por pessoa, considerando nesses valores os benefícios já recebidos, que tenham em sua composição crianças entre zero e 6 anos de idade, que são consideradas como famílias pobres;
  • Famílias que tenham renda de até R$ 178,00 por pessoa e que possuem entre seus integrantes mulheres grávidas ou que estejam amamentando, além de crianças entre 0 e 12 anos e adolescentes até 15 anos;
  • Famílias que tenham renda de até R$ 178,00 por pessoa, que tenham entre seus integrantes adolescentes entre 16 e 17 anos.

Onde e como fazer o Cadastro Bolsa Família

O cadastro para participar do programa social é um processo bastante simples. O responsável pela família (pai ou mãe) deve fazer sua inscrição no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, o CADÚnico.

Geralmente, são as mulheres que sabem todas as informações da família, e por isso, são elas que vão fazer o cadastro na maioria das vezes, mas pode ser um homem ou mulher a realizar o cadastro, com no mínimo 16 anos de idade. Essa pessoa passa a ser então a Responsável pela Unidade Familiar (RF).

Localizar Centro de Referência em Assistência Social

Para fazer a inscrição deve se dirigir até o CRAS, levando uma cópia dos documentos dos familiares, e os próprios – de quem vai ser o responsável – e pedir para fazer o cadastro.

Para encontrar um CRAS – Centro de Referência em Assistência Social, basta ir até um posto de saúde e pedir informações. Eles possuem os endereços ou telefone de informações dos CRAS próximos, pois trabalham em conjunto.

Para verificar os endereços dos CRAS pela internet – clique aqui.

ache o CRAS mais proximo da sua casa para Cadastro Bolsa Família

Entrevista no CRAS

No Centro de Referência em Assistência Social é feita uma entrevista, onde as informações são passadas, e a pessoa já fica sabendo se poderá ou não receber algum benefício, seja ele o Bolsa Família ou algum outro.

É importante saber, no entanto, que não basta estar inscrito no CadÚnico para receber os benefícios do Programa Bolsa Família.

Fazer parte do CadÚnico é considerado como um pré-requisito, não significando que a família estará automaticamente inserida no pagamento dos benefícios. O Ministério do Desenvolvimento Social e de Combate à Fome (MDS) irá fazer, a partir do cadastro, uma seleção automatizada das famílias que serão beneficiadas com o Programa Bolsa Família.

Dessa forma, é importante que a família pelo menos esteja inscrita no Cadastro Único (CadÚnico), sendo incluída entre aquelas que podem receber as parcelas mensais concedidas pelo programa.

Quais documentos levar para a inscrição?

Para quem vai se tornar responsável, alguns documentos são obrigatórios:

  • CPF ou Título de Eleitor.

Já no caso dos outros membros da família, só é preciso levar qualquer um dos documentos a seguir:

  • Certidão de nascimento;
  • Certidão de casamento;
  • CPF;
  • Carteira de identidade;
  • Carteira de trabalho;
  • Título de eleitor;
  • Atestando de frequência escolar.

Alguns documentos podem ajudar no cadastro:

  • Carteira de trabalho;
  • Comprovantes de renda familiar;
  • Comprovante de endereço, como por exemplo: conta de água ou luz;
  • Comprovante de matrícula escolar das crianças e/ou adolescentes;
  • O nome da escola onde estudam as crianças, caso não tenha o comprovante de matricula em mãos.

Para famílias quilombolas e indígenas, há algumas diferenças

Quem for indígena, e for o responsável pela família, pode apresentar qualquer um dos documentos a seguir:

  • CPF;
  • Título de Eleitor;
  • Certidão de nascimento;
  • Certidão de casamento;
  • Carteira de trabalho;
  • Registro Administrativo de Nascimento Indígena (RANI).

Para quem é quilombola, qualquer um dos documentos a seguir também é aceito, quando apresentado pelo responsável da família:

  • CPF;
  • Título de eleitor;
  • Certidão de nascimento;
  • Certidão de casamento;
  • RG;
  • Carteira de trabalho.

É possível cadastrar sem documentos?

É possível começar o cadastro. No entanto, enquanto um dos documentos obrigatórios não for entregue, não é possível receber nenhum benefício.

Se alguém da família não tiver os documentos, é preciso encaminhar a pessoa para tirar os documentos. Isto pode ser feito pelo entrevistador, no momento do cadastro. Não há custos para a documentação de família de baixa renda, principalmente se for a primeira via dos documentos.

O que é o Cadastro Único?

CadUnico

O Cadastro Único (CADÚnico) é um cadastro que junta informações sobre a população. Ele serve de base para Programas Sociais do Governo Federal, e assim, com as informações contidas nele, o Governo poderá então mobilizar recursos para as famílias necessitadas por meio de vários tipos de programas diferentes.

Este cadastro dá ao governo informações socioeconômicas, com dados como idade, se há gestantes ou não, escolaridade e formação dos membros de cada família, renda por pessoa (per capita), e situação de trabalho, entre outras.

Está desde 2003 servindo como principal instrumento para aplicação de programas de distribuição direta de renda. É por meio dele que a população que vive em extrema pobreza, e pobreza, entre outros, podem participar de programas como:

  • Bolsa Família
  • Tarifa Social de Energia Elétrica
  • Minha Casa Minha Vida
  • Telefone Popular
  • Bolsa Verde.

Como funciona a seleção para o Bolsa Família?

Depois que a família estiver inscrita no CadÚnico, o MDS vai fazer uma análise da situação familiar, inclusive com visitas à residência da família e com entrevistas com as pessoas que fazem parte da mesma.

Após essa análise, os responsáveis pelo gerenciamento do programa podem dar o aval para que a família possa participar do Programa Bolsa Família. A seleção é feita todos os meses e as famílias com menor renda e que tenham maior necessidade do benefício, têm preferência na inclusão no programa, passando a receber os benefícios.

Quando a unidade famíliar é aprovada, atendendo todos os requisitos necessários, tornando-se beneficiária do Programa Bolsa Família, fica fazendo parte do Cadastro Único com direito ao benefício, tendo a obrigação de informar qualquer alteração, seja com relação ao endereço, telefone de contato ou de renda mensal.

Mantendo seus dados atualizados no CadÚnico, a família terá maior facilidade em ser contatada, mantendo sua situação regular perante o Bolsa Família e oferecendo todas as informações necessárias para continuar no programa, como o cumprimento da frequência escolar das crianças e adolescentes e sobre o calendário de vacinação.

Todas essas precauções são necessárias para que não haja qualquer irregularidade no pagamento das parcelas, uma vez que é um tipo de benefício que tem como objetivo oferecer melhores condições às famílias que realmente tenham necessidade do valor pago pelo Bolsa Família.

Como saber se foi selecionado?

Você saberá se foi selecionado quando a Caixa Econômica enviar via correio o cartão do Bolsa Família, e junto a ele, vai o de pagamentos, e um folheto explicativo sobre o programa, e as condições de permanecia nele.

Cartão do Programa Bolsa Família

O cartão do Bolsa Família é o documento que permite receber os benefícios do programa todos os meses. O cartão também traz informações de onde poderá ser cadastrada a senha, e como sacar o valor do benefício.

Depois de receber o cartão, o titular ou responsável pela família deve ir até uma agência da Caixa ou a uma casa lotérica para fazer o cadastramento da senha. Com o cadastramento, mantendo os dados atualizados, poderá receber todos os meses o seu benefício, devendo obedecer um calendário que é informado pela própria Caixa.

Como conseguir o Cartão Cidadão e Bolsa Família?

O Cartão Bolsa Família será enviado para sua casa assim que você é selecionado para o PBF. Se você foi selecionada e o cartão não veio, ligue para 0800 726 02 07.

Como ativar o cartão Bolsa Família

É importante que antes de sacar o primeiro benefício, o usuário se atente em ativar o cartão, geralmente enviado pelos correios. É fácil de fazer, porém deve seguir alguns passos:

  1. Ao receber o cartão dos correios o usuário deve ligar, sem custos, para 0800 726 0207, solicitando o desbloqueio e cadastro de senha.
  2. Após isso é preciso se dirigir com um documento de identificação a uma lotérica ou agência da CAIXA para assinar o termo de responsabilidade de guarda do cartão e o cadastramento da senha.
  3. Em seguida, é dever do atendente passar o cartão no terminal eletrônico para ativá-lo.
  4. Pronto, você já pode começar a usar!

Não recebi o cartão, como sei se fui selecionado?

Se você não recebeu nenhum cartão, e já fez o cadastro há algum tempo, pode consultar em uma das listas públicas.

Uma lista de Beneficiários fica disponível para o público, que pode checar quem foi selecionado ou não, diretamente pela internet. Quem quiser consultar pode ir ao site da Caixa Econômica Federal ou diretamente no Portal da Transparência de responsabilidade da Controladoria-Geral da União (CGU).

Como consultar Bolsa Família: saldo e datas de pagamento

Na consulta é preciso informar o numero do NIS, que pode ser encontrado no Cartão Social e consultar se a família entrou no programa Bolsa Família ou não. Todos os meses novos nomes são adicionados à lista. Vale a pena conferir regularmente.

Veja logo abaixo um passo a passo para cada tipo de consulta.

Como consultar extrato pelo SIBEC

Acesse a página do Sistema de Benefícios ao Cidadão da Caixa clicando aqui, e escolha se vai consultar por UF (por estado), consultar por município, ou diretamente por família.como consultar bolsa família pela internet site SIBEC

O mais simples, que mostra diretamente se a família foi selecionada, é a consulta por Família.

  1. Escolha Consulta benefícios por família .
  2. Digite o NIS – Número de Identificação Social do Responsável Familiar – a pessoa que fez o cadastro.
  3. Em seguida, o nome do Responsável Familiar vai aparecer automaticamente.
  4. Clique no ícone “Consultar”.
  5. Agora, vai aparecer informações com o nome do responsável, a data de nascimento, a cidade onde a família foi cadastrada, a situação do benefício, se foi liberado ou não.

Como consultar pelo Portal da Transparência

  1. Acesse a página gov.br
  2. Com o nome do Responsável Familiar em mãos, clique em Transferência de Recursos.
  3. Selecione o ano.
  4. Marque a opção “Por favorecido”.
  5. Selecione “Pessoas físicas”.Como consultar o cadastro Bolsa Família
  6. Clique em “Consultar”.
  7. Na tela seguinte, escreva o nome do responsável na caixa de pesquisa e clique em “Pesquisar”.
  8. O nome aparecerá em seguida.
  9. Se o nome estiver em vermelho, é porque há benefícios vinculados. Clique e veja quais são.
  10. Caso o nome não esteja marcado, é porque não há benefícios disponíveis liberados.

Como é feita a fiscalização do Bolsa Família?

Para garantir que o serviço está indo de forma certa e para as pessoas corretas, em média duas vezes por ano é feita a fiscalização pela Controladoria Geral da União que sorteia as cidades que serão investigadas.

Para identificar as fraudes são usados vários métodos, como comparar os dados do CadÚnico, que as famílias fazem ao se inscrever no PBF (e que são obrigatoriamente atualizados pelas prefeituras locais), com outros cadastros como CNIS, Previdência Social, Controle de Óbitos e acompanhamento das frequências escolares quando existem menores nas famílias.

O recadastramento no Bolsa Família é necessário?

O recadastramento no Bolsa Família é essencial para garantir o recebimento dos benefícios durante todo o prazo determinado por cada critério estabelecido pelo programa.

Além disso, a atualização cadastral é obrigatória sempre que houver solicitação no recibo de pagamento. Quando isso não é feito, o sistema cancela o pagamento no próximo mês e o beneficiário tem seu pagamento bloqueado.mensagem de recadastramento em extrato do Bolsa Familia

O sistema do Bolsa Família, todos os anos, faz o cruzamento das bases de dados de renda dos brasileiros, procurando saber se não há irregularidades nas informações dos cadastrados no programa como, por exemplo, cancelamento de CPF, aumento de renda não informado, mudança de endereço e outros.

O sistema também pode exigir a revisão cadastral das famílias beneficiadas e, não havendo alteração na revisão anual do governo, o responsável pode ser solicitado a comparecer para informar sua situação atual.

Desta forma, é preciso atender às solicitações para recadastramento no Bolsa Família sempre que houver uma carta recebida pelo responsável ou sempre que houver no comprovante de pagamento as informações de “Averiguação” ou de “Revisão Cadastral”.

Esse recadastramento no programa Bolsa Família é obrigatório, devendo ser feito o mais rápido possível. Se os beneficiários não fizerem o recadastramento, o benefício do mês seguinte não é liberado. O CadÚnico irá cancelar o pagamento e o Bolsa Família é bloqueado.

Quais são os documentos para o recadastramento?

Os documentos exigidos para o recadastramento no Bolsa Família são, basicamente, os mesmos do cadastramento, devendo ser atualizados, principalmente quando se trata de comprovante de frequência escolar, de carteira de vacinação das crianças menores de 6 anos de idade ou telefones de contato para que o órgão responsável possa entrar em contato quando necessário. Não esqueça de levar consigo o cartão do Bolsa Família.

atualizar cadastro bolsa familia

O Bolsa Família é um programa que já tirou muitas famílias da extrema pobreza e pobreza e ainda tira até os dias atuais. o que está aguardando para fazer o Cadastro Bolsa Família?

2 Comentários

  1. Claudia Izidoro
    • Suporte

Deixe o seu Comentário!